Mercado de Trabalho

Saiba o que colocar no currículo quando não se tem experiência na área

Por Redação   | 

 Tag: Mercado de Trabalho

Você está em busca de recolocação no mercado de trabalho ou pensa em mudar de área para conquistar melhores oportunidades, mas não possui experiência? Então você deve estar se perguntando qual a melhor forma de aplicar para processos seletivos sem muita bagagem. Mas saiba que existem várias dicas sobre o que colocar no currículo quando não se tem experiência.

O currículo – ou curriculum vitae, como também é conhecido – é considerado um documento fundamental para quem está em busca de trabalho, servindo não apenas como um resumo do que você já fez profissionalmente, mas uma carta de apresentação sobre quem você é e o que almeja conquistar na carreira. Deixar claro para onde você quer ir no mercado de trabalho é essencial na corrida pela tão sonhada recolocação.

Você sabia que é possível enriquecer o seu currículo com estágios, voluntariado e até mesmo projetos extras que você tenha se envolvido durante o colégio ou a faculdade? O mais importante é mostrar aos recrutadores todas as suas experiências prévias, independentemente de já ter trabalhado na área que você deseja.

No texto de hoje, vamos ajudar você a montar um currículo interessante para quando não se tem experiência na área, com dicas e técnicas que funcionam! Vamos nessa?

Comece sua pós-graduação EAD agora mesmo! Inscreva-se grátis.

Escreva algumas linhas de apresentação

A base de um currículo profissional sempre começa com uma breve apresentação, e nela você colocará seus dados básicos: nome, idade, telefone, e-mail e a cidade onde reside atualmente. Apresente-se para o recrutador como se estivesse em uma entrevista cara a cara. Faça um resumo de no máximo quatro linhas sobre as suas habilidades e pretensões de carreira.

A etapa de apresentação serve como um resumo do que será apresentado mais detalhadamente a seguir. Você pode até mesmo incluir alguma curiosidade sobre a sua formação, habilidades que considere relevantes para a sua formação. Você gosta de ensinar outras pessoas sobre algum tema específico? Então pode ser que você seja ótimo em trabalhos coletivos e de ajuda mútua. Ressalte suas qualidades!

Se você optar por criar um currículo digital, ainda pode incluir no topo, junto da apresentação, alguns links que direcionam para o seu e-mail pessoal, para um portfólio de materiais ou até mesmo para a sua rede social profissional – o Linkedin é hoje a mais utilizada para este fim.

Destaque sua formação acadêmica e extracurricular

Para fazer um currículo quando não se tem experiência na área, antes de apresentar suas experiências profissionais propriamente ditas, é recomendado que você entregue um breve resumo de toda a sua formação. E aqui você não precisa limitar-se apenas ao universo acadêmico: cursos, aulas de idiomas, projetos pessoais, participação em eventos e atividades extracurriculares também ganham pontos para os recrutadores.

Aliás, a dica sobre os cursos livres é uma das que mais enriquecem o currículo de quem não possui muita experiência profissional. Recrutadores valorizam muito aqueles que buscam especializações e atualizações sobre a área que desejam aplicar, ou mesmo que se arriscam em aprender para além do alcance da sua formação.

Caso você deseje mudar de área, mas ainda não tenha experiência prática na profissão, comece por enriquecer os seus conhecimentos técnicos. Um exemplo: se você é formado em Geografia, mas deseja mudar sua área para Direito, que tal um curso relacionado à área da Geografia Jurídica? Dessa forma, você pode fazer a transição de carreira de forma gradual.

E se a grana estiver apertada, não se preocupe! Hoje, com a internet cada vez mais amiga de quem deseja aprimorar seus conhecimentos, é possível encontrar diversos cursos online gratuitos para fazer sem sair de casa e com emissão de certificado!

Na hora de organizar os cursos no currículo, lembre-se de listá-los sempre na ordem do mais recente para o mais antigo, de preferência neste formato: Nome do curso + Instituição + Ano de formação + Horas de curso – caso possua.

Coloque experiências em atividades profissionais relacionadas

Muita gente pode pensar que essa é a parte principal de um currículo, mas como você pode ver anteriormente, há diversas outras etapas igualmente importantes. Se o seu objetivo é montar um currículo pela primeira vez sem nenhuma experiência profissional, a dica para esta etapa é focar em estágios que você tenha aplicado durante a faculdade ou mesmo projetos relacionados.

Lembre-se de ser verdadeiro na montagem do currículo, mesmo quando você não tem experiência. Inventar cargos e atividades que não exerceu pode gerar uma bola de neve de mentiras mais para a frente. Independentemente do recrutador descobrir ou não, você pode acabar sendo exigido de acordo com o que foi citado e gerar um clima ruim para si mesmo e para a empresa que confiou no seu trabalho.

Os recrutadores e supervisores valorizam – e muito – a honestidade do candidato, logo caso não tenha experiência na área almejada, seja transparente sobre, e use como recurso a sua enorme vontade de aprender e crescer na profissão. Se você já possui experiência em uma área, mas deseja mudar de carreira, não deixe de valorizar as suas conquistas anteriores.

Caso possua experiências profissionais, liste-as na mesma formatação que as experiências acadêmicas: sempre da mais recente para a mais antiga.

curriculo 3

Adicione experiências em trabalhos voluntários

Essa é uma excelente dica, tanto para quem está ingressando no mercado de trabalho como para quem procura novos desafios. Você já realizou algum trabalho voluntário? Se sim, vale muito a pena citar aqui. E se você nunca participou de algum projeto voluntário, saiba que essa é pode ser uma oportunidade incrível para você adquirir vivência e ainda ajudar quem mais precisa.

Você pode entrar em contato com a Prefeitura da sua cidade para se informar sobre centros comunitários e/ou campanhas que necessitam de ajudantes. Existem diversas áreas que recrutam voluntários: eventos municipais, projetos sociais, aulas de ensino básico para crianças carentes, campanhas de arrecadação, cuidados com animais resgatados e muitos outros.

Destaque outras habilidades correlatas

Depois de descrever as suas experiências profissionais – estágios, empregos ou mesmo projetos voluntários –, você pode enriquecer seu currículo com habilidades e domínios que tenha adquirido ao longo da vida. Fique ligado nessa dica: as famosas soft skills estão em alta no mercado de trabalho. Ao contrário das habilidades técnicas, essas estão mais relacionadas à maneira como você se comporta perante os outros e fortalece o seu desenvolvimento pessoal.

Como você lida com a ansiedade durante uma negociação com o seu chefe? Você consegue agir com inteligência emocional perante uma situação de nervosismo no ambiente de trabalho? Desenvolver habilidades como empatia, criatividade, oratória e liderança abre portas no mercado. Muitas vezes, saber se comunicar de maneira persuasiva, além do tato para negociar, vale mais do que uma experiência profissional propriamente dita.

Como você avaliaria a sua produtividade para lidar com as demandas de trabalho? Uma pessoa bem organizada pode fazer uma enorme diferença em ambientes de trabalho de ritmo frenético. As soft skills são habilidades que adquirimos não apenas no ambiente corporativo, mas durante o nosso dia a dia.

E na sua vida pessoal, como é a comunicação com familiares e amigos? Como você resolve situações de apuro com as crianças em casa? Você sabe organizar bem o seu tempo para trabalhar, cuidar da família e aproveitar momentos de lazer? Note que essas habilidades pessoais podem servir de grande valia para a sua carreira profissional.

Liste no seu currículo algumas habilidades pessoais que você considera importantes para o seu desenvolvimento. E não esqueça de investir nesse campo de maneira constante. Nosso sucesso no mercado de trabalho começa com uma boa preparação interna. Aprimore sua oratória, fortaleça a empatia e cuide do seu bem-estar pessoal para o trabalho não se tornar um fardo no seu dia a dia.

Dicas para fazer um bom currículo quando não se tem experiência

Agora que você já conhece todos os elementos que devem fazer parte de um currículo de quem não tem experiência, é preciso atentar-se a algumas regras ortográficas e de formatação para deixá-lo visualmente bem apresentável. É importante que você organize as informações de maneira legível, pensando sempre em atrair uma boa compreensão por quem for analisá-las.

Por isso, separamos algumas dicas para você escrever o seu currículo da melhor maneira e conquistar uma boa oportunidade de emprego no mercado de trabalho.

curriculo 1

Cuidado com as informações

Lembra-se da apresentação lá do início do texto? Essa é a primeira etapa do seu currículo, e por isso é importante que você não exagere nas informações. Evite divulgar dados muito específicos, como documentos pessoais, fotos que não sejam 3x4 ou mesmo um e-mail, digamos, não muito profissional.

Nada de divulgar aquele endereço eletrônico engraçadinho que você utilizava na época da adolescência, hein? Por via das dúvidas, crie um e-mail sólido para utilizar de maneira corporativa, de preferência no formato nomesobrenome@ + o servidor que preferir – Gmail, Outlook etc.

Você pode basear-se em alguns modelos encontrados online para montar seu currículo de maneira personalizada. Há diversos templates disponíveis na internet, basta escolher o mais adequado e preenchê-lo com as suas informações.

Menos é mais

Preencher dezenas de folhas com informações não torna o seu currículo mais atraente; pelo contrário. Um bom currículo é aquele que consegue sintetizar a sua carreira acadêmica e profissional de maneira limpa e bem distribuída. Há quem diga que o ideal é não passar de duas páginas.

Pretensão salarial só no momento da entrevista

Se você está em busca de um trabalho, divulgar a sua pretensão salarial no currículo pode limitar suas opções, afinal o mercado é abrangente e as empresas se baseiam em critérios diferentes para estabelecer o pagamento de seus funcionários.

Se a ideia é enviar currículos para vários lugares diferentes, você não quer ser eliminado do processo seletivo por pedir um valor fora da realidade daquela empresa, não é mesmo?

Deixe para negociar o salário na etapa da entrevista, após ser apresentado à realidade da empresa que está contratando e até mesmo de entender se essa vaga é mesmo o que você procura.

Revise o português

Essa etapa é fundamental! Antes de sair enviando o seu currículo para as vagas pretendidas, lembre-se de revisá-lo de acordo com as regras gramaticais vigentes no Brasil, para não cometer nenhuma gafe ortográfica.

Caso não se sinta seguro de realizar a revisão por conta própria, você pode pedir a ajuda de um amigo mais experiente na área ou mesmo utilizar a ferramenta de revisão de programas como o Microsoft Word ou o Google Docs.

Envie por e-mail com uma breve apresentação

Hoje em dia, a maioria dos processos seletivos acontecem no ambiente virtual. Você pesquisa por vagas que adequam-se às suas qualificações e expectativas, e então envia seu currículo para o e-mail da empresa. Dessa forma, é importante que você crie um texto de apoio para enviar no corpo do e-mail.

Nunca envie o seu currículo por escrito no corpo do e-mail. Lembre-se de salvá-lo num arquivo separado – recomendamos que seja feito no formato .PDF.

Comece o e-mail apresentando-se junto com a sua posição atual. Informe à empresa como encontrou a vaga e mostre-se disponível para participar do processo seletivo. Utilize uma linguagem formal e receptiva, ao mesmo tempo que evita o uso de emojis, gifs e outras firulas. Trate o processo com a seriedade que ele merece.

Por fim, não esqueça de anexar o arquivo do currículo! E então é só enviar, torcer e aguardar por um avanço positivo no processo seletivo.

Com algumas dicas simples, é possível criar um currículo mesmo quando não se tem experiência na área preterida. Lembre-se que mesmo os profissionais mais experientes tiveram que passar por uma fase inicial; o primeiro passo muitas vezes é o mais difícil. Se você já está formado e procura uma oportunidade para mudar de área, significa que você já tem uma bagagem e tanto para utilizar como experiência.

Não tenha medo de enfrentar a concorrência do mercado. Mesmo em tempos de crise, as empresas têm modernizado seus processos, e novas funções estão surgindo para lidar com as demandas. Se você já tem em mente uma certeza de para onde quer ir, a hora de arriscar é agora mesmo!

Mantenha a confiança e trate cada etapa do processo como uma vitória na sua caminhada pelo tão sonhado emprego. Não desanime em caso de derrota: de quanto mais entrevistas você participar, mais experiência você adquire. Estamos torcendo por você!

Viu como é fácil entender o que colocar no currículo quando não se tem experiência?

Está convencido de que chegou a hora de colocar a mão na massa e buscar um lugar no mercado de trabalho, mas tem medo de não dar conta de tudo? Então você também pode se interessar: