Enem

Existe um mínimo de linhas na redação do Enem? Precisa ter título? Tire suas dúvidas

Por Redação   | 

 Tag: Enem

Por mais que todos os anos se fale muito sobre a redação do Enem na época do exame, ainda é muito comum ter algumas dúvidas em relação a essa etapa da prova. 

Existe um número mínimo de linhas na redação do Enem? Quais as competências avaliadas? É possível zerar?

Neste artigo, respondemos essas e outras questões sobre a redação do Enem. Fique conosco e descubra como alcançar a nota 1000!

Aqui você vai conferir:
As competências avaliadas na redação do Enem 
Quantas linhas deve ter uma redação do Enem? 
O que não pode faltar na redação do Enem? 
O que pode zerar a redação do Enem? 
O que fazer para tirar nota 1000 na redação do Enem? 

Comece sua graduação EAD agora mesmo! Inscreva-se grátis.

As competências avaliadas na redação do Enem 

As provas de Ciências Humanas, Ciências da Natureza, Matemática e Linguagens têm suas notas calculadas com base na Teoria de Resposta ao Item, a famosa TRI. É um algoritmo usado pelo Enem para corrigir e dar nota às questões da prova.

A redação, contudo, segue uma lógica diferente. A nota é atribuída por uma banca examinadora, composta por pelo menos dois professores. 

Esses profissionais utilizam cinco competências – que estão na Matriz de Referência do Enem – para determinar a pontuação do candidato na redação. São elas:

Competência 1: Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa

É avaliado se a redação do participante está adequada às regras de ortografia, como acentuação, ortografia, uso de hífen, emprego de letras maiúsculas e minúsculas e separação silábica. 

Ainda são analisadas a regência verbal e nominal, concordância verbal e nominal, pontuação, paralelismo, emprego de pronomes e crase.

Essa competência possui seis níveis de desempenho: 

  • 0 ponto — o candidato desconhece a modalidade escrita formal da língua;
  • 40 pontos — o domínio da modalidade escrita formal é precário, com frequentes e diversificados desvios gramaticais;
  • 80 pontos — o domínio da modalidade escrita formal é insuficiente, com muitos desvios;
  • 120 pontos — o domínio da modalidade escrita formal é mediano, com alguns desvios;
  • 160 pontos — o domínio da modalidade escrita formal é bom, com poucos desvios;
  • 200 pontos — o domínio da modalidade escrita formal é excelente, sendo que os poucos desvios observados são aceitos como excepcionalidades.

Competência 2: Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa

Avalia as habilidades integradas de leitura e de escrita do candidato. A proposta de redação constitui o núcleo das ideias sobre as quais o texto deve ser organizado e é caracterizado por ser uma delimitação de um assunto mais abrangente.

Essa competência possui seis níveis de desempenho: 

  • 0 ponto — o candidato fugiu do tema e não atendeu à estrutura dissertativo-argumentativa;
  • 40 pontos — o candidato foge um pouco do assunto e demonstra domínio precário do gênero dissertativo-argumentativo;
  • 80 pontos — o tema é desenvolvido com domínio insuficiente da estrutura, e o candidato recorre à cópia de trechos dos textos de apoio;
  • 120 pontos — o tema é atendido, mas com argumentação previsível e domínio mediano da estrutura;
  • 160 pontos — a argumentação é consistente, e a estrutura, bem-atendida;
  • 200 pontos — o candidato tem um excelente domínio do gênero e desenvolve o tema a partir de um repertório sociocultural produtivo.

Competência 3: Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista

O candidato precisa elaborar um texto que apresente, claramente, uma ideia a ser defendida e os argumentos que justifiquem a posição assumida em relação à temática da proposta da redação. 

Essa competência trata da coerência e da plausibilidade entre as ideias apresentadas no texto, o que é garantido pelo planejamento prévio à escrita, ou seja, pela elaboração de um projeto de texto.

Essa competência possui seis níveis de desempenho: 

  • 0 ponto — as informações apresentadas não se relacionam e não há defesa de ponto de vista;
  • 40 pontos — os argumentos são incoerentes ou se relacionam pouco ao tema, sem defesa de ponto de vista;
  • 80 pontos — os argumentos se relacionam ao tema e defendem um ponto de vista, mas são apresentados de forma desorganizada ou contraditória;
  • 120 pontos — os argumentos são ligados a um ponto de vista, mas são limitados e pouco organizados;
  • 160 pontos — os argumentos são apresentados de forma organizada e em favor de um ponto de vista;
  • 200 pontos — o candidato tem uma argumentação consistente e organizada e demonstra ter opiniões bem-fundamentadas.

Competência 4: Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação

Nesse tópico, são avaliados itens relacionados à estruturação lógica e formal entre as partes da redação. A organização textual exige que as frases e os parágrafos estabeleçam entre si uma relação que garanta uma sequência coerente do texto e a interdependência entre as ideias.

Preposições, conjunções, advérbios e locuções adverbiais são responsáveis pela coesão do texto porque estabelecem uma inter-relação entre orações, frases e parágrafos. Cada parágrafo será composto por um ou mais períodos também articulados. Cada ideia nova precisa estabelecer relação com as anteriores.

Abaixo, seguem os seis níveis de desempenho:

  • 0 ponto — as informações não são articuladas;
  • 40 pontos — a articulação do texto é precária;
  • 80 pontos — a articulação é insuficiente, com repertório limitado de recursos coesivos;
  • 120 pontos — as partes do texto são articuladas de forma mediana;
  • 160 pontos — a articulação é boa e realizada com um repertório diversificado de recursos coesivos;
  • 200 pontos — as partes do texto são articuladas com bastante domínio.

Competência 5: Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado que respeite os direitos humanos

É fundamental apresentar uma proposta de intervenção para o problema abordado que respeite os direitos humanos. Propor uma intervenção para o problema apresentado pelo tema significa sugerir uma iniciativa que busque, mesmo que minimamente, enfrentá-lo. 

A elaboração de uma proposta de intervenção na prova de redação do Enem representa uma ocasião para que o candidato demonstre o preparo para o exercício da cidadania, para atuar na realidade em consonância com os direitos humanos.

Essa competência possui seis níveis de desempenho: 

  •  0 ponto — não há proposta de intervenção ou ela não se relaciona ao tema;
  • 40 pontos — a proposta de intervenção é vaga;
  • 80 pontos — a proposta é apresentada, mas de forma insuficiente;
  • 120 pontos — a proposta é mediana e se articula razoavelmente ao problema abordado;
  • 160 pontos — há uma boa proposta de intervenção bem articulada ao tema;
  • 200 pontos — a proposta é muito bem elaborada e articulada à discussão presente no texto.

A nota final do candidato na redação se dá pela soma da pontuação nas cinco competências.

>>> Leia mais: Como estudar para o Enem 2022: dicas, conteúdos e redação

Quantas linhas deve ter uma redação do Enem?

mínimo de linhas na redação do Enem - mulher escrevendo em caderno em frente a notebook

O número mínimo de linhas na redação do Enem é 7. Ou seja, todas as redações com menos 7 linhas são anuladas pela banca examinadora. 

Além disso, também existe um limite máximo de linhas: sua redação pode ter até 30. Qualquer texto que não cumpra com esses limites será zerado pelos corretores. 

O ideal é que seu texto fique com um número de linhas acima de 20. Esse espaço é suficiente para aprofundar suas argumentações e desenvolver bem as ideias.

Outro ponto importante — que muitos alunos desconhecem — é que a redação do Enem não precisa ter título. Aliás, colocar título na redação vai tomar uma linha que poderia ser usada na sua argumentação, então pense bem se é necessário.

Não esqueça que um título mal feito pode diminuir sua nota!

>>> Leia também: Interpretação de texto: o que é, para que serve e como desenvolver essa habilidade

O que não pode faltar na redação do Enem? 

Além de seguir o modelo dissertativo-argumentativo, existem outros pontos que são importantes se atentar na hora de fazer a redação. 

A seguir, apresentamos quais são eles:

Parágrafos organizados e bem estruturados

Sua redação deve ter pelo menos três parágrafos, divididos em introdução, desenvolvimento e conclusão. Essa organização é essencial para que seu texto esteja bem encadeado.

Além disso, saiba delimitar bem cada uma dessas partes do texto. Ou seja, nada de fazer uma introdução gigante e um desenvolvimento de três linhas, saiba aproveitar cada espaço!

Ideais conectadas e boa argumentação

Ter boas ideias e argumentação são fatores essenciais para a redação do Enem. Esses são os principais tópicos avaliados pelos examinadores – dificilmente um texto com uma boa estrutura, mas pobre em conteúdo, alcança uma nota alta.

Por isso, é indispensável se atentar a esses dois itens! 

Fontes e dados

Para sustentar a argumentação, é essencial ter fontes e dados para comprovar a tese que está sendo defendida. Esses elementos são essenciais para uma boa redação. 

Conclusão com proposta de intervenção

A redação do Enem sempre apresenta uma problemática da sociedade, exigindo que os participantes apontem um caminho para amenizá-la ou resolvê-la.

Por isso, na conclusão da redação, é essencial apresentar uma proposta de intervenção, identificando meios de atenuar a questão apresentada. 

Não pule essa etapa: ela é tão importante quanto a introdução e o desenvolvimento, e a qualidade da proposta é uma das competências avaliadas!

>>> Leia também: Como escrever bem? Passo a passo para você conseguir

mínimo de linhas na redação do Enem - mulher com notebook apoiado no colo

O que pode zerar a redação do Enem

Você sabia que é possível zerar a redação do Enem? Embora não seja tão comum, alguns erros podem acabar anulando seu texto, confira quais são:

Fuga do tema 

Esse é um dos erros mais comuns. Afinal, muitas pessoas lêem rapidamente a proposta de redação e não compreendem plenamente a temática a ser discutida. 

Quando a proposta de redação não é respeitada, o candidato tem sua redação zerada, segundo o edital do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Mas o que seria fugir do tema da redação? Vamos ver um exemplo!

Em 2018, a proposta de redação pedia que os participantes escrevessem sobre "manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”. 

Contudo, houve quem dissertou apenas sobre tecnologia, de forma geral, não abordando questões específicas da internet. 

Esses casos tiveram o texto anulado pela banca avaliadora, o que levou diversos candidatos ao zero na redação.

Dessa forma, é muito importante ler com atenção a proposta de redação, garantindo que não haverá fuga no tema. 

Não seguir o formato de dissertação

A redação do Enem deve seguir o formato dissertativo-argumentativo

Ou seja, tem que conter introdução, argumentos que defendam determinado ponto de vista (dados estatísticos, por exemplo) e conclusão.

Esses tipo de texto defende determinada opinião sobre o tema e deve propor uma solução para a questão apresentada. 

Produzir um texto fora desse padrão leva a anulação da redação e, consequentemente, ao zero. 

A redação do Enem não é lugar para experimentalismos — por mais criativo que você seja. Por isso, a melhor aposta é construir bons argumentos e seguir o modelo exigido pelo exame. 

Folha em branco 

Entregar a folha da redação em branco também leva ao zero. Muitas vezes, isso costuma acontecer por falta de tempo, já que muitos participantes deixam para passar o texto a limpo nos últimos minutos. 

Ou seja, saiba administrar seu tempo e não deixe a redação por último. Essa é uma das partes mais importantes do Enem. 

Menos de 7 linhas

Outra condição que leva à anulação da redação é entregar um texto com menos de sete linhas. 

Não esqueça que a redação do Enem deve ter no mínimo 7 linhas para ser avaliado pela banca de professores! 

Cópia dos textos motivadores

No Enem, a proposta de redação é sempre acompanhada de uma coletânea de textos motivadores. Eles servem para dar um "norte" ao candidato.

Esses textos não devem ser reproduzidos em sua redação, pois pode ser considerado cópia e levar a anulação do texto. 

O Inep considera como cópia:

  • sequência de três ou mais palavras iguais às dos textos motivadores ou das questões;
  • alteração apenas do singular ou plural, ou do tempo verbal dos excertos;
  • reprodução das mesmas frases, omitindo apenas algumas palavras ou invertendo trechos.

Desenhos e sinais gráficos impróprios

De acordo com o edital do Enem, redações com impropérios, desenhos e formas propositais receberão nota zero.

Texto escrito em língua estrangeira

A redação do Enem deve ser escrita em língua portuguesa. Qualquer outro idioma não é aceito e leva à anulação da redação. 

Isso não quer dizer que termos estrangeiros populares (como pizza, shopping, designer e jeans) não possam ser utilizados. A regra é não escrever o texto em sua totalidade em outro idioma. 

Letra ilegível

Redações com letras ilegíveis também são zeradas. Dessa forma, é bem importante se atentar a caligrafia, tentando deixar a escrita o mais legível possível. 

Assinaturas e rubricas

A redação do Enem não é lugar para assinaturas e rubricas. Os candidatos que fizerem seu uso ao longo do texto tem a redação zerada. 

Desrespeitar os direitos humanos

Até o Enem 2017, ferir os direitos humanos era considerado uma infração grave e poderia zerar a prova de redação. No entanto, uma medida do STF mudou a regra. 

Mesmo que não zere a redação mais, um dos cinco itens que serão avaliados no texto é a capacidade de "elaborar proposta de intervenção para o problema abordado que respeite os direitos humanos".

Ou seja, mesmo que não anule o texto, desrespeitar os direitos humanos diminui significativamente a pontuação do candidato. 

O que fazer para tirar nota 1000 na redação do Enem? 

Alcançar 1000 na redação do Enem é o sonho de todos os alunos. E por mais difícil que possa parecer, é sim possível atingir essa nota seguindo algumas dicas simples. 

Confira abaixo o que fazer para tirar nota 1000 na redação do Enem:

  • Conheça o modelo dissertativo-argumentativo

A redação do Enem deve ser feita seguindo o modelo de texto dissertativo-argumentativo. Por isso, é muito importante que você conheça as características e a estrutura desse tipo de texto antes de começar a escrever. 

Cada gênero textual possui um objetivo diferente, e o dissertativo-argumentativo busca convencer o leitor de um determinado ponto de vista. 

Para isso, o autor deve usar de fatos e dados para sustentar sua argumentação, seguindo encadeamento lógico de ideias e propondo uma solução para a questão ao final. 

  • Invista no seu repertório sociocultural

Para construir uma boa argumentação, você precisa ter repertório sociocultural. Por isso, leia livros, assista telejornais e documentários, conheça a história do Brasil e se informe sobre as principais discussões da atualidade.

Tudo isso amplia sua visão de mundo e senso crítico, características indispensáveis para escrever uma boa redação. 

  • Leia redações nota 1000

Tudo o que estamos falando parece um pouco abstrato para você? Leia algumas redações de edições passadas do Enem, assim você compreende melhor como estruturar o seu texto. 

Aqui você encontra alguns exemplos de redações que alcançaram a nota 1000 para se inspirar!

  • Pratique muito 

Além de ler boas redações, não esquece de praticar seu texto. Mesmo que o tema da redação do Enem só seja conhecido no momento da prova, você pode sim fazer redações com temas coringas para testar suas habilidades. 

Isso permite que você identifique suas dificuldades e pontos fortes na escrita, além de aprender a administrar o tempo – capacidade essencial para o Enem. 

No blog Imaginie, você encontra diversas propostas de redação para treinar. Bons estudos!