Enem

Mudanças climáticas no Enem: o que são, causas, consequências e questões

Por Redação   | 

 Tag: Enem

As discussões sobre as mudanças climáticas ganharam força em todo mundo nas últimas décadas. Não é à toa que termos como “aquecimento global” e “efeito estufa” se tornaram tão comuns em nosso dia a dia.

Segundo estudiosos, as alterações no clima estão sendo causadas por uma série de fatores, mas os principais certamente estão relacionados às atividades humanas.

O desmatamento, a queima de combustíveis fósseis e as atividades industriais têm contribuído muito para o aumento da camada de gases do efeito estufa. 

Isso faz com que a temperatura da Terra suba, trazendo consequências graves para o planeta. A elevação do nível do mar, ondas de calor, tsunamis e secas são algumas delas.  

Em função disso, as mudanças climáticas tornaram-se uma pauta urgente na sociedade. Afinal, os impactos desses desequilíbrios são significativos e afetam desde a nossa saúde até a produção de alimentos. 

Devido à sua importância, a temática aparece de forma frequente no Enem, especialmente nas provas de Ciências Humanas e Ciências Biológicas. 

Se você está se preparando para o exame, saber mais sobre essas mudanças e seus impactos é essencial para garantir uma boa nota. 

Neste artigo, explicamos mais sobre as mudanças climáticas e trazemos alguns exemplos de questões do Enem sobre o assunto. 

Boa leitura!

Aqui você vai ver:
O que são as mudanças climáticas 
Causas naturais para as mudanças climáticas 
A interferência humana nas mudanças climáticas
Consequências das mudanças climáticas 
Questões do Enem sobre mudanças climáticas para praticar 
Conclusão

Comece sua graduação EAD agora mesmo! Inscreva-se grátis.

O que são as mudanças climáticas 

Mudanças climáticas, como o próprio termo indica, são alterações provocadas nos padrões climáticos do planeta. Ou seja, são alternâncias meteorológicas nas condições do tempo observadas por um período. 

Essas mudanças podem ser causadas por processos naturais e também pela ação do homem. 

De acordo com o Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC), a mudança climática:

“refere-se à mudança no estado do clima que pode ser identificada (por exemplo, usando testes estatísticos) por mudanças na média e/ou na variabilidade de suas propriedades e que persiste por um período prolongado, normalmente décadas ou mais. As mudanças climáticas podem decorrer de processos naturais internos ou forças externas, como modulações dos ciclos solares, erupções vulcânicas e mudanças antropogênicas persistentes na composição da atmosfera ou no uso do solo.”

Extinção de espécies, derretimento das geleiras e aumento do nível do mar são apenas algumas das consequências desencadeadas pelas mudanças no clima. 

Quando o clima começou a mudar?

Antes de explicarmos como começaram as mudanças climáticas, é importante lembrarmos que essas alterações não aconteceram do dia para noite. 

As mudanças no clima estão intrinsecamente ligadas ao nosso processo evolutivo. Afinal, essas alterações são observadas desde a formação do planeta Terra. 

É natural que o clima mude ao longo do tempo em decorrência de fenômenos naturais. No entanto, nas últimas décadas, essas mudanças têm sido observadas em um espaço menor de tempo e de maneira mais intensa.

Nos últimos 150 anos, a temperatura do planeta deu um salto considerável e houve uma grande aceleração do aquecimento global. 

De acordo com a Organização Meteorológica Mundial, a industrialização foi um verdadeiro divisor de águas em termos climáticos. 

A Revolução Industrial mudou não só economicamente o cenário mundial, mas também o modo produtivo da nossa sociedade. Ela trouxe o consumo exagerado e a produção em grande escala. 

Esses novos modos de produção e consumo aumentaram a exploração dos recursos naturais e provocaram o aumento da poluição atmosférica, por causa da emissão de gases poluentes pelas indústrias e automóveis. Além disso, percebemos também uma aceleração do desmatamento. 

Todos esses fatores contribuíram para o aquecimento do planeta e vem trazendo graves consequências para a humanidade e para o meio ambiente. 

O que é aquecimento global?

Aquecimento global é um fenômeno que acontece em consequência do aumento da concentração de gases do efeito estufa na atmosfera. 

O efeito estufa é um processo importante para a manutenção da temperatura adequada da Terra, porém sua intensificação faz com que as temperaturas no planeta aumentem de maneira significativa, impactando negativamente os seres humanos e todos os outros seres vivos. 

Ou seja, o efeito estufa não é exatamente um problema. O grande vilão é o seu agravamento que provoca o superaquecimento do planeta. 

O aquecimento global pode ocorrer como consequência de causas naturais e atividades humanas. 

Contudo, a crescente da emissão de gases do efeito estufa, tais como dióxido de carbono e metano, está diretamente relacionado com o aumento da temperatura do planeta. 

Ou seja, as atividades humanas são as maiores responsáveis pela elevação da temperatura média na Terra.

A diferença entre mudanças climáticas e aquecimento global 

Por mais que sejam usados muitas vezes como sinônimos, aquecimento global e mudanças climáticas não são a mesma coisa. 

O aquecimento global faz parte da questão das mudanças climáticas que, por sua vez, é um termo um pouco mais amplo. 

O conceito de mudanças climáticas explica as alterações de clima no geral, não se aplicando somente à temperatura.

Basicamente, o aquecimento global está se referindo ao aquecimento da Terra a longo prazo, e as mudanças climáticas se referem não só ao planeta estar esquentando, como também nas consequências disso, como o aumento ou redução da quantidade de chuva, maior frequência de temporais, temporada de furacões mais intensa, aumento ou redução da umidade do ar, entre outras questões.

Causas naturais para as mudanças climáticas 

Por mais que as atividades humanas sejam os principais causadores das mudanças no clima, também existem fatores naturais que influenciam. Confira quais são:

  • Incidência solar: a radiação solar que chega até a superfície pode variar, podendo ser mais elevada ou reduzida em alguns períodos.
  • Órbita da Terra: o planeta sofre variação em sua órbita segundo os movimentos que realiza, o que faz ele receber mais ou menos radiação solar.
  • El Niño e La Niña: esses fenômenos causam alterações na temperatura média das águas do Pacífico, modificando as condições climáticas das áreas em que atuam.
  • Atividade vulcânica: os vulcões podem apresentar períodos de maior atividade. Em situações de elevadas ocorrências de erupções vulcânicas, ocorre o sistema de resfriamento climático da Terra.

A interferência humana nas mudanças climáticas 

As mudanças climáticas podem ter causas naturais ou podem ser consequência das atividades humanas.

Contudo, de acordo com estudo publicado na revista Nature Climate Change, existe 99% de certeza que os humanos causaram o aquecimento global.

Como vimos anteriormente, a partir da Revolução Industrial, a humanidade passou a emitir quantidades significativas de gases de efeito estufa.

Assim, as atividades humanas passaram a ter influência importante nas mudanças climáticas.

A seguir, apresentamos as atividades humanas que mais impactam nas alterações climáticas. Confira:

Atividades industriais

Com a expansão da atividade industrial, todos os anos toneladas de poluentes estão sendo lançadas na atmosfera pelas indústrias presentes no mundo. 

Essas substâncias contribuem para o aumento do efeito estufa, o que provoca uma série de mudanças climáticas e traz grandes consequências para a saúde humana e para o meio ambiente. 

Queima de combustíveis fósseis 

A queima de combustíveis fósseis para geração de energia elétrica e para o uso de diversos meios de transportes emite gases poluentes na atmosfera. Esses gases são os principais agravadores do efeito estufa. 

Desmatamento e queimadas

O desmatamento contribui diretamente para a elevação da temperatura média da Terra. Afinal, as florestas têm grande importância para a regulação do clima do planeta. 

As áreas de florestas e os ecossistemas naturais são grandes reservatórios de carbono por sua capacidade de absorver e estocar CO².

Mas quando acontece um incêndio florestal ou uma área é desmatada, essas áreas verdes soltam novamente todo o gás na atmosfera. E esse carbono liberado para a atmosfera contribui para o efeito estufa e, consequentemente, para o aquecimento global.

Segundo o World Wide Fund for Nature (WWF), atualmente essa é a principal causa das emissões de gás carbônico do Brasil.

Agropecuária e mudança no uso do solo

A agropecuária também contribui diretamente para a emissão de gases poluentes, como o metano, o dióxido de carbono e o monóxido de carbono. 

As principais causas estão ligadas ao cultivo de arroz irrigado por inundação, dejetos animais e mudança no uso do solo para a criação de gado. 

Consequências das mudanças climáticas

mudanças climáticas - ursos polares atravessando no gelo

O urso polar tornou-se um verdadeiro símbolo das mudanças climáticas. Ele é uma das espécies que mais vem sofrendo com alterações físicas em seu habitat em função do aquecimento global. 

Em julho de 2020, o periódico Nature Climate Change publicou um estudo indicando que os ursos polares poderão ser extintos até 2100 devido a esse fenômeno.

No entanto, as alterações no clima estão longe de atingir apenas esses animais. São várias as consequências do aquecimento global e algumas delas já podem ser sentidas em diferentes partes do planeta. 

Os cientistas já observaram que o aumento da temperatura média do planeta tem elevado o nível do mar devido ao derretimento das calotas polares, podendo ocasionar o desaparecimento de ilhas e cidades litorâneas densamente povoadas. 

Além disso, há previsão de uma frequência maior de eventos extremos climáticos, como tempestades tropicais, inundações, ondas de calor, seca, nevascas, furacões, tornados e tsunamis. 

Todos esses eventos podem trazer graves consequências para populações humanas e ecossistemas naturais, podendo ocasionar a extinção de espécies de animais e de plantas.

Abaixo, citamos as principais as principais consequências das mudanças climáticas:

  • Alterações nos ciclos da água.
  • Intensificação dos eventos climáticos, como aumento de tempestades, furacões e enchentes.
  • Períodos prolongados de seca.
  • Elevação do nível dos mares e oceanos.
  • Impactos na agricultura em decorrência de alterações nas condições naturais em áreas agricultáveis, dificultando a produção.
  • Alterações nos regimes pluviométricos, provocando secas extremas em alguns lugares e intensas enchentes em outros.
  • Agravamento de problemas de saúde, alterando o bem-estar da população, visto que as mudanças climáticas podem contribuir para a disseminação de doenças.
  • Desequilíbrio ecológico e extinção de espécies.

Questões do Enem sobre mudanças climáticas para praticar 

Agora que você já sabe mais sobre as mudanças climáticas, que tal ver como esse assunto é cobrado no Enem?

Abaixo, trazemos uma lista de questões com gabarito que exploram a temática. Confira:

1 - (Enem 2011)

questaoenem90

De acordo com o relatório “A grande sombra da pecuária” (Livestock’s Long Shadow), feito pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação, o gado é responsável por cerca de 18% do aquecimento global, uma contribuição maior que a do setor de transportes.

Disponível em: www.conpet.gov.br. Acesso em: 22 jun. 2010.

A criação de gado em larga escala contribui para o aquecimento global por meio da emissão de:

A) metano durante o processo de digestão.

B) óxido nitroso durante o processo de ruminação.

C) CFC durante o transporte de carne

D) óxido nitroso durante o processo respiratório

E) dióxido de enxofre durante o consumo de pastagens.

----

2 - (Enem 2016)

O Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (na sigla em inglês, IPCC) prevê que nas próximas décadas o planeta passará por mudanças climáticas e propõe estratégias de mitigação e adaptação a elas. As estratégias de mitigação são direcionadas à causa dessas mudanças, procurando reduzir a concentração de gases de efeito estufa na atmosfera. As estratégias de adaptação, por sua vez, são direcionadas aos efeitos dessas mudanças, procurando preparar os sistemas humanos às mudanças climáticas já em andamento, de modo a reduzir seus efeitos negativos.

IPCC, 2014. Climate Change 2014: synthesis report. Disponível em: http://ar5-syr.ipcc.ch. Acesso em: 22 out. 2015 (adaptado).

Considerando as informações do texto, qual ação representa uma estratégia de adaptação?

A) Construção de usinas eólicas.

B) Tratamento de resíduos sólidos.

C) Aumento da eficiência dos veículos.

D) Adoção de agricultura sustentável de baixo carbono.

E) Criação de diques de contenção em regiões costeiras.

----

3 - (Enem 2006) Com base em projeções realizadas por especialistas, prevê-se, para o fim do século XXI, aumento de temperatura média no planeta entre 1,4 ºC e 5,8 ºC. Como consequência desse aquecimento, possivelmente o clima será mais quente e mais úmido, bem como ocorrerão mais enchentes em algumas áreas e secas crônicas em outras. O aquecimento também provocará o desaparecimento de algumas geleiras, o que acarretará o aumento do nível dos oceanos e a inundação de certas áreas litorâneas.

As mudanças climáticas previstas para o fim do século XXI

A) provocarão a redução das taxas de evaporação e de condensação do ciclo da água.

B) poderão interferir nos processos do ciclo da água que envolvem mudanças de estado físico.

C) promoverão o aumento da disponibilidade de alimento das espécies marinhas.

D) induzirão o aumento dos mananciais, o que solucionará os problemas de falta de água no planeta.

E) causarão o aumento do volume de todos os cursos de água, o que minimizará os efeitos da poluição aquática. 

---

4 - (Enem 2017) O Decreto Federal n. 7.390/2010, que regulamenta a Lei da Política Nacional sobre Mudança do Clima (PNMC) no Brasil, projeta que as emissões nacionais de gases de efeito estufa (GEE) em 2020 serão de 3,236 milhões. Esse mesmo decreto define o compromisso nacional voluntário do Brasil em reduzir as emissões de GEE projetadas para 2020 entre 38,6% e 38,9%.

BRASIL. Decreto n. 7.390, de 9 de dezembro de 2010. Disponível em: www.planalto.gov.br. Acesso em: 2 jun. 2014 (adaptado).

O cumprimento da meta mencionada está condicionada por

A) abdicar das usinas nucleares.

B) explorar reservas do pré-sal.

C) utilizar gás de xisto betuminoso

D) investir em energias sustentáveis.

E) encarecer a produção de automóveis.

----

5 - (Enem 2015) As autoridades de Kiribati, arquipélago do Oceano Pacífico formado por 33 atóis e uma ilha de coral, estão conscientizando sua população para que aceitem que, nas próximas décadas, terão de fugir do país. A estimativa é que, em um período de 50 anos, as ilhas podem desaparecer. O governo convocou os líderes de todas as ilhas para convencê-los da importância de mudar a mentalidade das pessoas, com pleno conhecimento que é uma questão muito sensível porque ameaça a própria identidade de um país. Kiribati já antecipou convênios com Austrália e Nova Zelândia para enviar seus cidadãos aos países vizinhos, algo que muitos dos moradores do arquipélago não aceitam.

Disponível em: http://noticias.terra.com.br. Acesso em: 28 jul. 2012.

No texto, faz-se referência a um problema que se tornou um tema recorrente na agenda global. Nesse sentido, a preocupação apresentada pela população de Kiribati fundamenta-se na previsão de

A) submersão de terras habitadas, decorrente da elevação do nível do mar.

B) ocorrência de tsunamis, derivada de mudanças no eixo de rotação do planeta.

C) erupções vulcânicas frequentes, visto que estão assentados sobre o Círculo do Fogo.

D) terremotos com magnitude extrema, devido à proximidade de bordas de placas tectônicas.

E) furacões de grande intensidade, em função de redução da temperatura média do Oceano Pacífico.

---

6 - (Enem 2016) Cúpula dos Povos começa como contraponto à Rio+20

Enquanto a conferência oficial no Riocentro, na Barra, é restrita a participantes credenciados, que só entram depois de passar por um forte controle de segurança, a Cúpula dos Povos é aberta ao público, em tendas ao ar livre no Aterro do Flamengo. Ela é aberta também às tribos e discussões mais diversas, em mesas de debate e painéis geridos pelos próprios participantes, buscando promover a mobilização social. Problemas ambientais, econômicos, sociais, políticos e de minorias serão discutidos no evento, afirma uma ativista norte-americana, em alusão ao movimento que ocupou Wall Street, em Nova York, no ano passado.

Disponível em: www.bbc.co.uk. Acesso em: 14 ago. 2012.

Uma articulação entre as agendas ambientalistas e a antiglobalização indica a

A) humanização do sistema capitalista financeiro.

B) consolidação do movimento operário internacional.

C) promoção de consenso com as elites políticas locais.

D) constituição de espaços de debates transversais globais.

E) construção das pautas com os partidos políticos socialistas.

Gabarito: 1 - A, 2 - E, 3 - B, 4 - D, 5 - A, 6 - D

Conclusão

Neste artigo, falamos sobre mudanças climáticas e mostramos como esse assunto pode aparecer no Enem. 

Se você gostou desse artigo, não deixe de conferir: