Você já ouviu falar em neuromarketing? Essa é uma área dentro do marketing que alia conhecimentos mercadológicos e publicitários à neurociência, garantindo maiores chances de venda de determinado produto ou serviço.

A base para aplicação do neuromarketing é o entendimento de como funciona a mente e, consequentemente, o comportamento do consumidor.

O perfil do consumidor do século XXI exige, dentre outros aspectos, uma boa experiência de compra, mais do que a própria aquisição de um produto em si.

Nesse sentido, o neuromarketing possui uma série de ferramentas que auxiliam no processo de fidelização dos clientes.

Neste artigo você entenderá o que é neuromarketing, a sua relação com a neurociência e algumas formas de aplicá-lo no dia a dia dos negócios.

Você vai conferir:

O que é Neuromarketing?
Neuromarketing e Neurociência: qual a relação?
Como o Neuromarketing pode beneficiar os negócios
Formas de aplicar o Neuromarketing
Curso de Pós-Graduação em Neuromarketing
Conclusão

Sombra preta de corpo humano visualizando a ilustração de um cérebro cheio de ramificações.

O que é Neuromarketing?

Neuromarketing é um campo que estuda o comportamento do consumidor a partir das lógicas de consumo, entendendo os desejos, impulsos e motivações que levam os indivíduos a optarem por consumir ou adquirir algum produto ou serviço.

Como o próprio nome já diz, é um campo que relaciona os conhecimentos do marketing com os conhecimentos neurológicos.

Ou seja, enquanto o marketing trabalha para pensar em soluções para satisfazer os desejos dos clientes, a neurociência pesquisa os impulsos gerados pelo cérebro que podem influenciar em sentidos e emoções que levam o consumidor à compra.

O neuromarketing, portanto, nada mais é que uma tática de vendas baseada na neurociência.

O termo começou a ser usado em meados de 1990 por Gerald Zaltman, professor e pesquisador na Harvard Business School (Estados Unidos).

Zaltman foi o primeiro a utilizar aparelhos médicos, como a ressonância magnética, no intuito de fazer descobertas para o campo publicitário.

Ele registrou o termo como uma ferramenta de marketing logo depois, em 2000, sendo os seus métodos até hoje utilizados para entender o que acontece no cérebro de um consumidor e porque ele decide por um produto em detrimento de outro.

Neuromarketing e Neurociência: qual a relação?

Para compreender como o neuromarketing funciona é preciso também entender como atua o nosso cérebro.

Segundo a Teoria do Cérebro Trino, desenvolvida pelo neurocientista Paul MacLean, nosso cérebro está dividido em três partes: neocórtex (pensamento racional), cérebro límbico (sensações e emoções) e cérebro reptiliano (intuição).

No neocórtex estão os lobos cerebrais que controlam as relações sociais e permitem que desenvolvamos um pensamento racional, diferente dos animais.

Já no cérebro límbico é onde ocorre o controle das emoções e sensações ligadas aos 5 sentidos humanos. É também o local onde há maior armazenamento de informações e da memória.

O cérebro reptiliano, no entanto, está ligado às novas emoções mais primitivas, desenvolvendo o instinto de sobrevivência e sensações de fome, sono e segurança.

Com o entendimento de como funciona cada parte do cérebro, os profissionais de marketing também conseguem compreender como os consumidores guardam as informações obtidas por meio de anúncios: essa é a relação entre neuromarketing e neurociência.

A partir desses dados obtidos graças a neurociência, é possível criar estratégias de consumo específicas, atingindo as sensações ou emoções que determinado produto ou serviço prevê, conseguindo, portanto, uma maior efetividade na venda.

Por exemplo, se você perguntar diretamente ao seu cliente se prefere uma embalagem amarela ou verde, ele poderá lhe responder de forma mais ou menos automática e apontar para uma das cores que lhe parece mais bonita.

No entanto, utilizando os métodos da neurociência é possível visualizar as reações no cérebro dele quando as embalagens são apresentadas nessas duas cores.

Ou seja, você conseguiria observar como o subconsciente do consumidor é afetado por determinadas embalagens.

A escolha, portanto, se baseia em dados e não em opiniões pessoais, conferindo maiores chances de a empresa influenciar na tomada de decisão dos clientes.

Computador e livros de marketing posicionados em cima de uma mesa enquanto mãos masculinas fazem anotações.

Como o Neuromarketing pode beneficiar os negócios

Você deve estar se perguntando: e na prática, qual a efetividade do neuromarketing? Esse tipo de marketing pode beneficiar qualquer tipo de negócio. Veja algumas das vantagens:

✅Tomada de decisão certeira

Essa é uma das principais vantagens da aplicação do neuromarketing no seu negócio!

É a partir dos métodos e técnicas desse tipo de marketing que você consegue identificar o que realmente interfere no processo de compra e na tomada de decisão dos clientes.

✅Produtos mais direcionados ao público

É também a partir do neuromarketing que você consegue desenvolver produtos mais voltados para as necessidades do seu público-alvo.

Não basta ser inovador, o produto ou serviço precisa despertar o subconsciente do seu consumidor!

✅Efetividade das campanhas publicitárias

A mesma efetividade proporcionada nos produtos pode ser também aplicada às campanhas publicitárias a partir dos conhecimentos adquiridos com o apoio da neurociência.

Existem formatos e tipos de campanha que geram maior apelo para a persona do seu negócio, portanto investir no modelo mais apropriado pode reverter em um número de vendas significativo.

Formas de aplicar o Neuromarketing

Agora que você já sabe quais os benefícios de adotar o neuromarketing, mostraremos alguns exemplos de técnicas advindas da ciência e que podem ser aplicadas no dia a dia do marketing. Confira:

Psicologia das cores 🎨

A psicologia tem como ponto de partida que os elementos visuais são os que mais influenciam o comportamento do consumidor.

A avaliação das cores que devem ser utilizadas pelo negócio, portanto, devem levar em consideração os sentimentos que a empresa quer gerar nos clientes.

Conheça os significados de algumas cores:

  • Azul: confiança e segurança.
  • Vermelho: emoção e paixão.
  • Laranja: sentimento agradável e amigável.
  • Verde: tranquilidade e serenidade.
  • Roxo: inovação e inteligência.
  • Rosa escuro: alegria e jovialidade.
  • Rosa claro: romance e delicadeza.
  • Preto: luxo.
  • Branco: transparência.

Storytelling 🎯

Diferente do marketing praticado em décadas anteriores, a publicidade do século XXI não pode apenas fazer um anúncio de produto: mais do que os benefícios que ele pode trazer, os consumidores hoje querem que os produtos agreguem valor às suas vidas.

Isso significa dizer que mensagens extremamente objetivas não convencem mais. É preciso contar uma história que gere identificação no cliente: e é aí que entra o storytelling.

Gatilhos mentais 🧠

Os gatilhos mentais são informações que podem gerar um impulso à ação no consumidor.

Existem dois tipos de gatilhos mais utilizados, os de escassez, como “compre já” ou “valor por tempo limitado”; e os de exclusividade, como “se inscreva e receba um ebook exclusivo”.

Oferecimento de valor 🌟

Os consumidores atuais não querem apenas comprar o seu produto, eles também querem entender os valores da sua empresa.

Por isso, ao invés de empurrar o seu produto direto para o cliente em potencial, primeiramente ofereça algo em troca, alguma informação pertinente ou um conteúdo relevante gratuito, por exemplo.

Estratégia nas ideias e conceitos 💡

Já ouviu falar no ditado “água mole em pedra dura tanto bate até que fura”? Pois é, a repetição é um dos mais poderosos métodos de persuasão, mas precisa ser usado com inteligência pelo negócio.

Por isso, em um mesmo anúncio ou conteúdo, repita de forma estratégica valores ou outros conceitos pertinentes para a compra.

Essa repetição na mensagem, além de torná-la mais persuasiva, também pode mudar a opinião dos que são resistentes a aquisição do seu produto ou serviço.

Mão segurando uma caneta e escrevendo em caderno.

Curso de Pós-Graduação em Neuromarketing

A Pós-Graduação em Neuromarketing da FAESA é voltada para os profissionais que atuam na área de marketing dentro das organizações ou têm interesse no assunto.

O curso une conhecimentos do Marketing e da Psicologia para pensar nas melhores estratégias para atrair os consumidores, sobretudo no entendimento dos fatores que levam a decisão dos clientes na hora da compra.

Para tanto, a matriz curricular da Pós é composta por disciplinas que abordam economia comportamental, teorias de marketing, técnicas de mapeamento de tomada de decisão e estratégias de vendas.

Conheça os quatro eixos de conteúdo oferecidos durante a formação:

  • Mercado e Marketing: neste eixo, as disciplinas oferecidas são de Pesquisa de Mercado e Inteligência Competitiva; Neuromarketing e Comportamento do Consumidor; e Estratégias de Marketing.
  • Marketing Digital e a Indústria 4.0: dentre os conteúdos abordados estão Presença Digital; Planejamento Digital; e Redes Sociais e E-Commerce.
  • Inteligência de Marketing: este eixo contempla as matérias de Inteligência Aplicada aos Negócios; Gerenciamento de Dados Estratégicos; e Métrica e Análise de Resultados.
  • Tópicos Especiais em Inteligência de Negócios: por fim, mas não menos importante, o último eixo trabalha as temáticas ligadas a Big Data; Data Science; e Aprendizado de Máquina.

A partir das disciplinas oferecidas, portanto, o pós-graduando terá contato com todos os processos e estratégicas necessárias para aplicação do neuromarketing na empresa ou ramo em que atua, influenciando na produtividade e melhor desempenho do negócio.

Um dos benefícios da Pós-Graduação em Neuromarketing da FAESA é que ela pode ser feita integralmente a distância e é facilmente adaptável a sua rotina: você escolhe onde e quando assistir as aulas ou realizar as atividades do curso.

Além de ter a facilidade de ser EAD, a cada três meses você tem direito a um certificado em nível de extensão, respectivos a conclusão de cada um dos eixos temáticos da pós.

Com esses certificados, antes mesmo de concluir a sua formação você já pode complementar o seu currículo e alavancar a sua carreira.

Conclusão

Neste artigo você conferiu o que é neuromarketing, um breve histórico de como o termo começou a ser utilizado e alguns benefícios dessa prática nos negócios.

Além de aumentar o potencial de vendas, o neuromarketing também pode atuar no desenvolvimento de produtos mais alinhados com as necessidades dos consumidores.

Para o profissional que deseja trabalhar com essa área, a Pós-Graduação em Neuromarkerting EAD da FAESA é a melhor opção, pois possui uma matriz curricular que abrange todos os conhecimentos necessários para pôr essa ferramenta mercadológica em prática.

A Pós-Graduação da FAESA possui um método de ensino totalmente a distância e ainda disponibiliza certificados intermediários ao longo do curso.

Gostou desse conteúdo? Então continue acompanhando o blog EAD FAESA para ler mais artigos sobre educação e mercado de trabalho.

New call-to-action

Inscreva-se no nosso Blog

New call-to-action

O que você achou dessa publicação?

Deixe o seu comentário abaixo.

BUY On HUBSPOT